sexta-feira, 18 de outubro de 2013

É o conselho: "não pares de escrever", inútil ou o melhor conselho?

Honestamente, não me consigo lembrar de tudo o que já disse neste blog, mas sei que ainda não traduzi este conselho. O grande ponto nem é tanto o conselho, mas algo que li em “Escrita para Totós”.

Ok, Veronica Roth, de vez em quando fala de uma conferência qualquer para escritores amadores e profissionais, NaNoWriMo, mas como nunca participei em nenhuma não posso saber exactamente do que é que ela está a falar. Acho que é qualquer coisa a ver com escrever um romance num mês. É de doidos, certo?

O problema com isto é que tens de escrever, non-stop! O conselho que ela dá é “não olhes para trás”, não te preocupes com o facto de parecer desleixado. Ela deu o exemplo de duas coisas que escreveu, um manuscrito que nunca foi publicado e ela escreveu sempre a mudar as coisas e o livro que agora vai ser filme, Divergente, e ela escreveu até os dedos doerem-lhe. Por isso podes ver como o conselho pode dar jeito.

Ideias:

1- Quando acabares o manuscrito, ele vai estar cru, tão cru quanto qualquer outro. Não podes impedir que isto aconteça.

2- Comete-te. Nunca voltes atrás para verificar alguma coisa. Esqueces-te do nome dos personagens, que importa? Inventa um novo e muda no fim. Se voltares para trás nem que seja por um segundo, podes dar cabo do teu momento.

3- Escreve tudo exactamente como te vem à mente, mesmo que sejam apenas bocados de cenas diferentes. Podes acabá-las mais tarde. Podes até escrever em parêntesis, [nesta cena, o personagem principal tem uma luta de comida no refeitório] se não te apetecer realmente escrever a cena (foi o que fiz com os últimos dos meus capítulos, demorava séculos a pensar na descrição dos cenários e a fazer pesquisa de imagens para me inspirar, que dava por mim a ficar cansada antes mesmo de ter escrito algo de jeito. Ou então temia o momento em que tinha de ir escrever porque já sabia que ia ficar stuck. Este também foi um dos melhores conselhos que ela me deu).

4- Não fiques stuck. Nem te permitas acreditar que podes ficar stuck. Começa a produzir ideias e a junta-las como uma máquina produtora de ideias. O teu cérebro ficará habituado a despejar cinco planos diferentes de uma vez e por isso não ficas sem ideias. O melhor sentimento é que  iras-te aperceber que estás com um monte de ideias e ainda assim continuas a imaginar novas.

5- Toma notas para evitar aquele sentimento de que fizeste asneiras. Por exemplo, toma nota do que queres mudar mais tarde, para não te esqueceres, mas não mudes. “Acabaste de parar uma hemorragia, mas ainda precisas de levar pontos mais tarde” (palavras dela, não minhas).

O que nos leva ao exercício super engraçado que encontrei no livro dos totós, mas que ainda não tive oportunidade de o pôr em prática, porque não me posso dar ao luxo de escrever novas coisas quando tenho tanta coisa que devia estar a rever.

O exercício serve para treinarmos o ponto 4 e chama-se “escrever páginas rápidas”.

Pega num bloco de notas e numa caneta e limpa toda a secretária. Coloca no temporizador cinco minutos. E agora ESCREVE.

Escreve ABSOLUTAMENTE aquilo que quiseres, não importa o quê. Escreve coisas sem nexo, escreve com nexo, escreve com erros ou sem. Não importa.

A única coisa que importa são estas regras.

- não pares de pensar

- não te atrevas a levantar a mão do papel

- não risques nada, nem revejas o que escreveste. Se achas que estas a olhar muito para cima, tapa.

- não deves acobardar-te de escrever nada, por razão nenhuma. Se hesitares e achares que não é uma coisa boa de se escrever, então significa que deves escrever. Quanto menos quiseres escrever, mais precisas de escrever. Não permitas que existem áreas interditas na tua imaginação.

Ninguém vai ler. É para o teu bem.

Quando acabarem os cinco minutos. Massaja as mãos, faz uma pausa com kit-kat e volta a fazer mais cinco minutos. Faz isto três vezes ou se conseguires, faz duas sessões de 10 minutos.

Ao fim de 15 minutos vais ter uma data de páginas cheias de ideias. Até podes nem usá-las agora, mas podem ser úteis um dia. 

Sem comentários:

Enviar um comentário