segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Sai da Tua Zona de Conforto

Algo novo que descobri: quando parece que não tenho imaginação e que sentar à frente do meu computador parece ser o maior pesadelo da minha vida tenho duas opções:
- escrever
- ou ficar a pensar sobre escrever e sentir-me culpada por não estar a fazer nada. 

Ultimamente tenho tentado a primeira opção e para minha surpresa, até consegui escrever. É claro que a primeira linha é sempre uma porcaria, mas a verdade é que eu preciso de começar por algum lado. Escreveste aquela frase que não tem pontas por onde se pegue, e depois? A imaginação veio logo a correr nas frases a seguir e acabaste por inventar um enredo que nem tinhas imaginado em primeiro lugar. Talvez aquela frase, ou aquele parágrafo, ou aquela página te vá dar muito trabalho a editar, mas a boa notícia é: como não estás de rabo sentado sem fazer nada e estás a avançar na tua história, irás ter muito mais tempo para te focares na edição.

Outra coisa que descobri depois de ter feito isso é que me sinto bem. Realmente bem. Não fico com aquele bichinho a remoer-me de culpa por não ter escrito hoje, não fico a pensar no que vou fazer da minha vida se não tiver uma forma de incorporar aquela cena naquela parte da história, e não fico a ruminar como vou avançar até chegar à parte que quero mesmo escrever. O resultado é uma pessoa muito mais bem disposta e orgulhosa de si mesma.

Só uma coisinha para vos pôr a pensar.

Agora ao que me levou mesmo aqui. A verdade é que tenho amigos fantásticos que sabem acerca da minha paixão pela escrita e dos meus planos de futuro, e que se lembram de mim cada vez que se deparam com alguns conselhos de escrita na Internet. E uma amiga, muito recentemente, enviou-me imensos. Apesar de ainda não ter tido a oportunidade de dar uma vista de olhos em todos, decidi partilhar um deles convosco.

1.Aumenta o número de palavras: se ainda não estás a escrever todos os dias, começa. Escreve seis dias por semana. Começa com 100 palavras. Quando isso já for confortável, vai até às 200 e quando deres por ti já estás a escrever como um menino crescido. A maior parte de nós não consegue escrever a um ritmo profissional. É preciso treinar. (De momento sinto-me confortável em escrever 1000 palavras por dia se não tiver interrupções de terceiros, por isso ando todos os dias a tentar puxar-me até às 1500. Por vezes resulta, por vezes não. Mas eu apenas conto as palavras que escrevo na história mesmo, não conto com as do blog, nem com as do trabalho da escola, nem com as que perco a planear e a delinear o enredo da história.)
2. Faz um blog: escrever num blog tem os seus benefícios, mas um dos maiores é que te ajuda a treinar para o teu ritmo profissional. Mata vários coelhos de uma só cajadada. O blog pode ajudar-te com a tua imagem de autor e plataforma, mas também ajuda-te a treinar para cumprires prazos e ajuda-te na tua conta diária de palavras. Um blog ajuda-te a escrever de forma mais simples, rápida e linear.
3.Lê em géneros que não lês normalmente: é possível apontar os escritores que lêem apenas no género que escrevem. Sai da tua zona de conforto e lê outro género. Irá ajudar-te envolver novos elementos para a tua ficção que irá ajudar-te a sobressair no meio da competição.
4. Entra em concursos: Concursos dão-te prazos e colocam o teu trabalho para ser submetido a criticas de colegas. (A não ser que sejas como eu e odeies competição. Odeio mesmo, e a razão pela qual odeio é porque odeio perder, mesmo depois da competição ter terminado - e até posso ter ganho - continua a sentir-me stressada com a situação. Mas o que eu faço é: compito em silêncio. Se não tiver ninguém consciente da minha competição, obrigo-me a termina-la mas sem aquela pressão. É quando funciono melhor. Mas lembra-te que competir em silêncio não te leva às críticas e crescimento como escritor do que uma em que as outras pessoas também tão conscientes.)
5.Escreve num género que não costumas escrever: saíres do teu próprio género ajuda-te a desenvolver novos músculos. Podes até descobrir que o género que inicialmente escolheste não é o melhor. (Apesar do meu género sempre se ter baseado na área juvenil e infanto-juvenil,  no inicio estava mais inclinada para a feitiçaria e tempos medievais. Resultou. Escrevi um rascunho inteiro acerca disso, mas nunca me pareceu completamente certo, e talvez tenha sido porque ainda era nova ou por outras razões, mas nunca o terminei por completo. Depois decidi ir para o tema mais geral que é o drama adolescente, e ainda para a dinâmica de irmãos, nenhum dos dois resultaram. Até ter encontrado o meu santuário que é ficção paranormal. Não significa que não vá tentar escrever noutros, significa que até agora este foi o que funcionou melhor. Porque se formos a ver, o outro rascunho que terminei também tinha os seus elementos paranormais, apenas precisava de redescobrir aquilo em que eu realmente era boa. Mas precisas de tentar outros para saberes que esse é o que é definitivamente certo.)

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Primeira Regra de Escritor

A maneira que eu tenho para ver que estou a melhorar como escritora é que agora não só consigo seguir o conselhos de outros escritores, como também consigo incentivar-me a mim mesma com palavras minhas. Consigo armazenar tudo o que já li acerca de escrita e pôr em prática em mim mesma. 

Por exemplo, ontem passei o dia todo a procrastinar. Não fiz nada de produtivo mesmo tendo uma lista para cumprir. E o problema não foi só ontem, a verdade é que tenho andado a adiar escrever a algum tempo, em geral eu sei o que vai acontecer, consigo fazer um resumo, mas cada vez que me sento para escrever parece que o meu cérebro não está para aí virado. As palavras não vêem. Eu culpo um bocado o perfeccionismo, mas não só, porque eu sei que é o primeiro rascunho e não tem de ser perfeito, poder ser o mais "merdoso" possível. Até já me convenci a mim mesma que isto é mais um rascunho de um rascunho para ver se conseguia fazer algo, mas...

Até que hoje disse "NÃO". Comecei a ver uns vídeos sobre como combater procrastinação, e depois fiz uma lista parecida com esta:
12.50-13.00 - Almoço
13.00-13.20 - Outline do Capítulo 1
13.20-15.00 - Escrever Capítulo 1 
15.00-16.00 - Ler 3 capítulos da Herança
16.00-16.20 - Outline do Capítulo 2
16.20-17.00 - Trabalhos de Casa

São agora 15.35 e só me faltam os trabalhos de casa. Porque me disciplinei, tive força de vontade e acabei por fazer algo mais produtivo do que se ficasse simplesmente sentada na cama o dia todo a sentir-me culpada por não ter feito nada o dia todo.

 Por isso, primeira regra de escritor:

- Torna a escrita numa disciplina. Não tens inspiração hoje? Não importa, escreve apenas durante 10 minutos em vez de uma hora ou o dia todo. Escreve uma palavra, pelo menos é uma palavra a mais do que tinhas ontem. Escreve acerca de coisas que não fazem sentido, ou sobre algo que não tem nada a ver com a tua história. Faz um outline do que precisas de escrever a seguir. Faz listas do que é suposto acontecer, mas que ainda não sabes bem COMO vai acontecer, para que fiques a saber em que pontos precisas de manter os olhos abertos. 

Imagina que tens um personagem amarrado e ele/a precisa de se libertar, mas não fazes ideia de como. Escreve numa lista "Próximo passo: descobrir como libertar a personagem A". Escreve na lista possíveis maneiras, não importa o quão ridículo, nem que seja com um palito. Mantém os olhos abertos na séries de televisão e nos livros a pessoas que estão a ser mantidas prisioneiras e se libertam. Como é que eles fizeram?

Pensa sempre acerca de escrita, mesmo quando não estás a escrever.