sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Halloween short-story

Melissa just moved into her new dorm. She hopes that new friendships will help her forget the events of last year that brought her there. But while her past keeps on creeping in and a chain of mysterious murders start happening around her, Melissa is left without knowing who to trust.


Have your heard about «The Roommate»? It's available for free on Smashwords.

If you read it, don't forget to leave your opinion in Goodreads!

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Short-story: The Roommate

Melissa just wants to forget that there are dark things happening on Halloween, but a chain of mysterious murders won't let her forget. 


Check out this Halloween tale, «The Roommate», and enter the spirit.
Available for free at: https://www.smashwords.com/books/view/677136

If you read it, don't forget to leave your opinion in Goodreads!

domingo, 15 de outubro de 2017

Halloween Tale - The Roommate

For a while, I've been hearing my friends constantly say, "You're a writer? Are your books in English or Portuguese?" And when I reply, it's usually followed by the usual, "Too bad, I might read them if they were in English."

Of course, being an avid traveller has turned my circle of friends wider, but most of them are also foreigners, thus all of them being able to speak English but with little knowledge of Portuguese.

Last year, I then decided to try something new in my writing. I had an idea for a Halloween story but I wanted to try something different, and see if I could reach more people with my stories. So I decided to pick up the world created in «Sombras» and «Chamas» in a very subtle way, but with completely different characters. 

And so was «The Roommate» born. A short-story with only 6,000 words that happens during Halloween times. 

Since I only had 2 days to outline it, write it and revise it, I didn't have a lot of time for marketing before the publishing day. 31st October, but hopefully this year I will get some more readers to enjoy it!!

You wanna know what it's it about?

Melissa just moved into her new dorm. She hopes that new friendships will help her forget the events of last year that brought her there. But while her past keeps on creeping in and a chain of mysterious murders start happening around her, Melissa is left without knowing who to trust. 


Hope you like it! It's available for free at: https://www.smashwords.com/books/view/677136


If you read it, don't forget to leave your opinion in Goodreads!

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Opinião Literária - As Nuvens de Hamburgo

Título Original: As Nuvens de Hamburgo (diz no título)
Autor: Pedro Cipriano (editor da Editorial Divergência)
Editora: Flybooks
Páginas: 97 (lê-se numa horinha)

Sinopse: "Marta é uma jovem que consegue ver o passado.
Assim que chega a Hamburgo, como estudante de Erasmus, vê-se transportada para a época Nazi, onde testemunha as brutalidades do Holocausto.
Nas suas viagens, Marta é atraída para um jovem soldado, encontrando-o nos recantos mais sombrios da história da cidade. A frequência dos encontros leva-a a procurar no presente a sua identidade.
O que é que os une? Apercebendo-se que consegue interagir com o passado, Marta procura descobrir qual o propósito deste dom. Mas será ela um mero peão num jogo que não consegue controlar ou será capaz de alterar o passado?
Um romance apaixonante, passado sob o manto da Segunda Guerra Mundial, que não irá deixar ninguém indiferente."

Opinião: O facto de conhecer o autor pessoalmente, levou-me à curiosidade de ler a sinopse do seu livro assim que o publicou, mas foi mesmo a premissa cativante que me levou a adquirir esta história brilhante.

Em muitos livros é, por vezes, usual ter um início demorado que nos leva a integrar na história. Tal não acontece com «As Nuvens de Hamburgo». Somos imediatamente transportados para uma nova cidade e duas épocas que parecem ocorrer em simultâneo.

Este livro é um livro que atrai desde as primeiras páginas até à sua última, sem deixar perguntas no ar, mas ainda assim inquirir: "É só isto? Será que não vem mais?"

Gostei bastante da forma directa e eficaz com que Pedro Cipriano escreve, o seu discurso simples e narrativa rápida faz com que nos mantenhamos agarrados durante toda a leitura e a estrutura pequena da obra torna as pausas inexistentes.

Adorei também o tema. A Segunda Guerra Mundial é um tema que aprecio em particular e sobre o qual leio bastante. Também já visitei a cidade de Hamburgo, por isso a combinação destes dois factores foram com certeza dois pontos que me atraíram mais à história!

Se lerem, não se esqueçam de dar a vossa opinião ao Pedro através do Goodreads!

terça-feira, 11 de julho de 2017

Criaturas Sobrenaturais de Sombras - Ghoul

GHOUL

Esta criatura é amiga dos nossos amigos djinns, criados por Iblis, o djinn que se revoltou contra Allah e que se tornou o primeiro demónio a caminhar na Terra e a colocar as pessoas à prova.

"–  Shh! Não temos tempo, estamos a perseguir um ghoul... –  disse um dos nossos contactos, um rapaz alto e esquelético.
 –  Ou melhor o
ghoul está perseguir-nos a nós –  disse o que o acompanhava.
 –  Um
ghoul? Mas eu pensava que essas criaturas só apareciam nos cemitérios –  respondi.
 –  Bem, ele começou no cemitério, mas aparentemente não gosta de ser perseguido, então agora vem atrás de nós."
 Sombras, Patricia Morais
O território habitual dos ghouls são os cemitérios, uma vez que estas criaturas gostam de consumir a carne de cadáveres e, onde é possível encontrar a maior fonte de carne em decomposição? Isso mesmo!

O ghoul também é perito na arte de metamorfose e o seu animal de escolha é muitas das vezes uma hiena

Um menino é chamado ghoul, uma menina ghoul é chamada de ghoulah. Uma menina ou menino que se encontrem com os ghilan (plural) são chamados de cadáveres se não lhe cortarem rapidamente a cabeça ou o transformarem em churrasco queimado!

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Criaturas Sobrenaturais de Sombras - Lich

LICH

O lich é a primeira criatura a aparecer em «Sombras» e ataca Lilly na floresta a caminho de casa. Já dizia a mãe do Capuchinho Vermelho, para termos muito cuidado na floresta, mas Lilly deve ter-se esquecido de prestar atenção aos contos de fada!

“– Mas que raio? – Não eram maneiras de se falar com um estranho, e ainda por cima mais velho que nós, mas eu acabara de ser atacada por um esqueleto. Um esqueleto! – Que raio era aquilo?
 – Um lich – respondeu o homem, com a mesma naturalidade a que se responde a uma pergunta de quanto é um mais um.
 – Um lich?
 Hum, senhor, não quero ser mal-educada, mas acho que precisa de ir ver um psiquiatra.
 – Sim um ser cadavérico criado por…
 – Eu sei o que é um lich. Só há um pequeno pormenor, os liches não existem.”
Sombras, Patricia Morais
Vocês ouvem ser cadavérico e imediatamente devem pensar, “pff, outro zombie”, mas não, os liches, ao contrário dos zombies são tão inteligentes quanto os humanos (isto é, se estivermos a falar de um ser humano inteligente).
É o resultado originado por um feiticeiro poderoso, quando este começa a criar feitiços e rituais para se tornar imortal (tens de escolher, imortalidade ou beleza, pelos vistos não podes ter as duas). 
Estes podem ser criados às centenas, para formarem exércitos ou serem singulares, um único feiticeiro que desejava vida eterna. A sua essência de vida é guardada no filactério que transportam consigo e a sua condição de imortal é lhes revocada quando o filactério é destruído.

As leis sobrenaturais são ruins!

sábado, 8 de julho de 2017

Criaturas Sobrenaturais de Sombras - Djinn

DJINN

Ora, se alguns de vocês leram e ainda se lembram da entrevista que fiz no Art Boulevard, mencionei qualquer coisa sobre o Djinn ser o meu monstro mais temido. Ah, talvez porque a minha pesquisa ainda era um pouco fresca na altura, mas fora principalmente influenciada pelas histórias que o meu amigo, da exótica ilha de Maurício, me contava. Coisas do género: “não apanhes uma garrafa vazia na praia, porque uma vez um amigo apanhou e nessa noite bateram-lhe à porta, e ele assustado não abriu e de manhã a porta estava coberta de arranhões profundos…” (última frase para ser lida de forma extremamente dramática).

Ao que parece, a avó do pobre moço era fã em assustar o menino com histórias de terror! A minha cantava-me canções sobre um macaco que tocava guitarra e perdia a cauda e um cuco que não comia couves, mas ei cada um com as suas manias!

Mas quem é esta mitológica criatura que parece assustar tanto a população islâmica?

"– Lilly? – Ouvi a voz de Brian Wright a dizer.
 – Hum?
 – O professor fez-te uma pergunta.
 Olhei para ele como se o visse pela primeira vez desde que entrara na sala.
 – Sabe-me dizer quantos tipos de djinn existem na mitologia Islâmica?
 – Quatro. Água, terra, ar e fogo. – Quando respondi à pergunta corretamente, ele ignorou-me e continuou a aula.”
Sombras, Patricia Morais
O djinn aparece no Corão como sendo uma criação de Deus, juntamente com os anjos e os humanos.
São muitas vezes apelidados como sendo demónios do folclore árabe, mas na realidade os djinn podem ser espíritos tanto maléficos como benéficos (todos nós nos lembramos do génio da garrafa do Aladino, certo?)

No livro sagrado do Islã são apenas espíritos ou forças ocultas, mas o seu folclore evoluiu para começar a atribuir desejos aos mortais que os conseguissem dominar (quem é que não aprecia um belo plot twist?).

E tal como Lilly disse, existem quatro tipos de djinn e os seus poderes dependem dos elementos a que pertencem:


  • Djinn Água – influencia as emoções das pessoas de forma negativa. Por isso, da próxima vez que tiverem um ataque de choro sem motivo, ou sentirem-se estranhamente deprimidos, é bem possível que ande um djinn por perto. Ah, e oiçam isto “em caso de suicídio a vítima morre afogada”. Não apanhem uma garrafa vazia na ilha de Maurício, eu repito não apanhem uma garrafa vazia na ilha de Maurício!
  • Djinn Terra – eu diria que este djinn é um free spirit. Já alguma vez ouviste falar daqueles hippies que parecem não conseguir manter a roupa no corpo? Bem, pelos vistos descobrimos a causa. Estes djinns influenciam as pessoas de forma a que não consigam manter-se fechadas em edifícios, estas fogem para os campos e sentem-se incomodados pelas suas próprias roupas, por isso é que só estão bem quando nus.
  • Djinn Fogo – Algo como o fogo tinha de ser devastador e esgotante. Este espírito é responsável pela inveja e pelo ódio. É o mais ativo deles todos e usa as suas vítimas para matar.
  • Djinn Ar – Aparentemente, é daqui que provém o nosso amigo o génio, porque estes são os djinns que podem ser presos em garrafas. São responsáveis pela falta de ar, por isso da próxima vez que subires um lance de escadas e deres por ti com falta de ar, não culpes a falta de exercício ou uma má cardio, culpa o djinn. As pessoas afetadas também se sentem desanimadas e com falta de energia para realizar tarefas.